Competência: Assumir o pluralismo como um valor da comunidade política

Critérios de evidência:

  • Identificar formas plurais de um ponto de vista institucional.
  • Relacionar a comunidade política e a representação plural.
  • Mobilizar um projecto de intervenção.

Esta competência refere-se à nossa capacidade de aceitação de opiniões e pontos de vista diferentes, à importância que damos à delegação de responsabilidades e à representação como forma de participação indirecta (na governação, na negociação de contratos colectivos de trabalho, etc).

Pode (e deve!) abordar esta competência se, por exemplo foi ou é membro de um Sindicato ou Comissão de Trabalhadores, ou dirigente de um partido político.

Mesmo sem pertencer a uma organização ou partido político, pode reflectir sobre a forma como compreende e aceita a sua existência enquanto garantes da pluralidade de opiniões, do direito de expressão e da defesa da democracia. Nesse caso, qual é a sua atitude? Informa-se? Vota? (Não se esqueça da palavra mágica – “porquê?”)

Também pode abordar esta competência se faz ou fez parte de algum movimento de defesa de opinião (por exemplo: contra ou a favor da interrupção voluntária da gravidez, contra a incineração de resíduos, defesa de famílias numerosas, etc.).  Deve reflectir sobre o que o levou a lutar activamente por determinado ponto de vista.

notaPoderá eventualmente fazer uma abordagem conjunta com a competência CP1 Institucional, desde que respeite os critérios de evidência das duas competências.